Por que somos contra procriação caseira? Leia também nosso artigo "Hamsters não vivem juntos"



Photo by astakatrin On Flickr


1 – Qual é o objetivo?

A reprodução é uma coisa séria, reproduzir por achar que é fofo ou porque quer dar um filhote a alguém conhecido é o mesmo que brincar com vidas. Você reproduziria para dar o seu filho à sua melhor amiga? Você arriscaria a sua vida com uma gravidez e um parto que pode te matar?

Cada gravidez e cada parto são um risco à saúde da fêmea, podendo mesmo acabar com a sua vida ou retirar-lhe meses de vida, o desgaste de uma ninhada para um animal tão pequeno e territorial é enorme!

Se não pretende melhorar a espécie ao criar animais mais saudáveis, então não force a sua fêmea a algo tão doloroso que pode tirar sua vida, isso é cruel e totalmente desnecessário.

2 – Hamsters vivem mais felizes sozinhos

Hamsters são animais solitários que se encontram poucas vezes na natureza, e não dividem seu território. Como e habitat natural o espaço é amplo, raramente eles irão brigar por comida e "pertences", ainda que se encontrem no caminho.

Ao contrário do que as pessoas pensam, os animais não têm a necessidade de se reproduzir, eles o fazem por puro instinto. Apenas golfinhos têm relações sexuais por prazer, por isso, não, a sua hamster não precisa engravidar pelo menos uma vez na vida para ser mais saudável e feliz, é precisamente o contrário.

3 – Falta de estudos

Infelizmente este é um ponto que muitos se esquecem: O estudo.

Você acha que aqueles criadores alemães, por exemplo, conseguiram os seus lindos hamsters em uma ninhada qualquer, cruzando qualquer fêmea com qualquer outro macho? Desengane-se.

Criadores sérios estudam por anos o animal ou raça que estudam, seja hamsters, cães, ou gatos. O estudo é essencial, e a fonte para uma reprodução saudável e sem riscos.

É de extrema importância o estudo de genética, morfologia, saúde, comportamento e linhagem, é necessário saber o standart para cada cor, tipo de pelo, padrões e espécie.

Como se não fosse o suficiente para estudar, é importante estudar igualmente a manutenção normal do hamster, assim como os cuidados certos a ter antes, durante e após uma gravidez e amamentação, sendo a alimentação de extrema importância.

Um dos grandes motivos pelos quais os hamsters no Brasil morrem mais cedo e têm tantos problemas de saúde é devido a este ponto, falta de estudo e selecção rigorosa. Por vezes há dois hamsters que até são excelentes em todos os pontos, no entanto, nem sempre é sinal que devem ser reproduzidos um com o outro. Há diversas coisas que podem tornar um casal de hamsters excelentes incompatível, tais como genes letais. Não só é importante o estudo, mas também a seleção rigorosa de exemplares.

Um bom exemplo de gene letal é o Light Grey, que quando reproduzido dois exemplares da mesma cor, os bebês morrem no útero da mãe.

4 – Contribuição para o número de animais abandonados

Pense em quantos hamsters poderiam arranjar lar se você não tivesse reproduzido os seus hamsters? Pense que 18 (conforme a espécie, os Sírios podem ter até 18!) hamsters abandonados ou que já têm o azar de já estar neste mundo poderiam arranjar donos no lugar dos 18 que você mesmo reproduziu.

É assim que o abandono funciona, porque sim, hamsters também são abandonados diariamente, a única diferença é que não havendo ONG nem associações que os acolhem, os mesmos são simplesmente mortos ou jogados na rua.

Portanto, mesmo não tendo essa noção, a reprodução caseira contribui para o número de animais abandonados. Se a ninhada não contribuir para a melhora da espécie, irá contribuir para esta triste realidade.

5 – Falta de linhagem

A verdade é que a maioria das pessoas adquire os seus hamsters em pet shops, ou seja, a ascendência desses hamsters é totalmente incógnita.

Hamsters com ascendência incógnita já mais deverão reproduzir-se, pois o estudo da linhagem de cada exemplar é de extrema importância.

Não saberemos qual a genética exata desse exemplar, nem sabemos se na sua linhagem há problemas de saúde genéticos, e outro ponto de extrema importância é o fato de que muitos hamsters vendidos em pet shops são filhos de cruzamentos consanguíneos.

6 – Híbridos

No Brasil, todos os Anões Russos são híbridos, até mesmo os que se parecem Campbells.

Por esse motivo, a reprodução responsável de anões russos no Brasil é basicamente impossível sem importações, híbridos jamais deverão ser reproduzidos, pois estes além de já serem mais frágeis, têm também uma grande tendência a problemas neurológicos.

7 – Após a amamentação

Após a amamentação é de extrema importância que os bebês sejam separados em gaiolas individuais, após os 30 dias é realmente muito importante estarem todos separados!

A maioria dos criadores não têm condições para comprar uma gaiola adequada para cada um dos bebês.

NÃO entregue de maneira alguma os seus bebês a uma pet shop, pois o seu futuro é totalmente incerto.

8 – O resultado das criações caseiras  

Infelizmente, a maioria dos criadores caseiros não ficam sabendo, pois após venderem já não se importam mais, mas a verdade é que a maioria dos hamsters acaba desenvolvendo sérios problemas, entre eles motores, neurológicos e até mesmo tumores, todos eles genéticos.

O seu sistema imunológico pode também enfraquecer, o que torna o animal mais aberto a contrair doenças graves.

Os hamsters podem até parecer bem enquanto bebês, mas a maioria dos problemas genéticos aparece somente com a idade (alguns podem até nascer mortos, outros já com esses problemas, mas a maioria desenvolve-os com a idade).

Quantos hamsters mais precisarão ser sacrificados para as pessoas entenderem que a reprodução caseira é a maior vilã, não só para o abandono de animais, mas também para a saúde dos animais que vemos diariamente? :(


Seja consciente, não reproduza os seus hamstersNão vamos tornar as nossas casas mais um criatório irregular e com qualidade de alojamento/alimentação inadequados. Chega de fábricas de filhote! Diga não a reprodução caseira. Filhotes precisam de veterinário, cuidado especial, e manter esses animais depende de alojamento individual pra todos, além do alimento de qualidade. Os gastos são maiores do que o que você receberia com a venda, e justamente por isso não existem muitos criadores responsáveis. Faça parte do time de tutores que amam os animais e os respeita, e não dessa turma que gera filhotes consanguíneos, com genética fraca e cheios de tumores e doenças. Seja responsável e faça a sua parte!


Texto elaborado com a contribuição da nossa querida amiga Christine Black, ex criadora legalizada, e atualmente Presidente do Projecto Hamster Portugal - que abriga hamsters abandonados. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...